Os pormenores fazem toda a diferença



“A mulher de César, não ser, tem que parecer”. Na Malásia não basta ser um bom muçulmano, é preciso parece-lo.

O jornal The Telegraph escreve que, para os líderes muçulmanos da Malásia todo o tipo de vestuário que contenha imagens de cruzes, bebidas alcoólicas e demónios representam um insulto a Deus e não deve ser usado por muçulmanos. A camisola do Manchester United, com o seu diabo, não é bem vista, nem as camisolas com cruzes como a do Barcelona ou a de Portugal.

O Mufti do estado de Johor, na Málasia, acredita que não é necessário utilizar tais roupas para um muçulmano uma vez que é «idolatrar o símbolo de outra religião», acrescenta ainda o jornal.

Eis como um pequeno diabo numa camisola pode arruinar o belo negócio da venda das camisolas de Rooney, Giggs ou Ferdinand. É que o United tem milhões de fans em toda a Ásia, incluindo, claro a Malásia e, no ano passado até fez por lá uma lucrativa digressão.

 

Francisco Reis

 

tags:
publicado por Lugares Mesmo Comuns às 18:51