Jornais on line: uma década perdida

Para ler, aqui, o excelente artigo de Paulo Querido sobre a fraca aposta dos jornais, rádios e televisões portugueses no on line, comparativamente aos media internacionais. Não reconheceram o valor do seu trabalho e da Internet e preferiram adoptar, no final da década de 90, em plena bolha tecnológica, soluções menos dispendiosas que levaram ao aparecimento de portais incaracteristicos, sem qualidade informativa.
 

Com isto, em dez anos, jornais, rádios e televisões viram as suas individualidades morrer por afogamento indistinto nos “portais". Numa rede, o valor não está nos fios, está nas pessoas, escreve.

 

No contexto de crise que afecta a indústria dos media, não é urgente os responsáveis portugueses repensarem esta opção e apostarem no valor da sua marca on line? Será que ainda vão a tempo?


 

 Sandra Silva

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 11:24