Genial

Um dia destes, li o seguinte, de um grande escritor:


“…era, inquestionavelmente, um homem inteligente e dotado de sentido prático… Para aí chegar, precisou de mostrar força, astúcia, muita intransigência, perseverança, em suma, tudo o que se requeria para que um homem sentado numa sala do primeiro piso decidisse, graças ao seu faro e experiência, o que tinha de fazer quem estava noutras salas e espaços.


… tinha um grande espírito de iniciativa e admirava tanto o engenho que preferia pagar mais aos talentos dos que aos meros executores.”


Genial. Há, de facto, pessoas assim.
 

 

Catarina Vasconcelos

 

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 17:28