Política 2.0 - perguntas e respostas IV

Paulo Colaço - Hoje a Democracia é uma partida de xadrez globalizada jogada em tempo real. Um ministro ou vereador toma uma decisão às 10 da manhã, os jornais noticiam às 10.30h e a blogosfera está a reagir às 10.31h. As instituições estão preparadas para este ritmo? Os partidos estão a pensar modernizar-se ou acham que a forma clássica de gestão de informação ainda faz sentido?


Caro Paulo,


Curiosamente acredito que, melhor ou pior, sim. Que estão preparadas para o ritmo. Nobless oblige. E não há melhor formador que o estado de necessidade. Mas a expressão mais importante que refere é “reacção”. Vai sendo possível reagir mas ainda ninguém sabe muito bem como “trabalhar” num universo que multiplicou os media owners das poucas dezenas para os muitos milhares. Como se faz? Como lançamos uma ideia, uma pessoa ou um projecto? O que temos hoje na comunicação 2.0 (política, corporativa ou de produto) são fenómenos. A mesmíssima fórmula de sucesso, aplicada um pouco mais ao lado, pode resultar num falhanço sem que ninguém saiba explicar porquê. E são muito mais numerosos os falhanços que os fenómenos apresentados neste tipo de conferências. E agora fico com esta ideia. Numa próxima oportunidade faço uma conferência especialmente dedicada aos grandes casos de insucesso. Temo é que uma hora não chegue.

 

(questão colocada através do blog “psicolaranja”)
 



 Rodrigo Moita de Deus

 

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 12:07