Uma mina culturALL

O cenário é peculiar. Mais de 200 metros abaixo do nível do mar, as minas de sal-gema de Loulé, recebem “Timeless Territories” - uma exposição, inserida no programa Allgarve, que, numa viagem a uma atmosfera singular, leva a cultura ao centro da terra. Lá em baixo não se vê raio de luz, mas esta aposta “Tão brilhante como o Sol” promete ser uma experiência única.


Nesta mostra exibem-se obras de autores estrangeiros e de um português, Vasco Araújo. As comissárias María de Coral e Lorena M. de Corral, apresentam obras que pretendem sublinhar as qualidades do espaço – a calma, a profundidade, o silêncio.


Esta é uma pitada de sal num programa de arte contemporânea que leva a todo o Algarve cerca de 160 obras de mais de 90 artistas. O Art Algarve, pelas mãos da sua coordenadora-geral Guta Moura Guedes, chegou à região no passado fim-de-semana.
 

Agora é rumar a sul… e descer até esta mina tão culturALL.
 

(E desta vez hei-de lá ir e sem ser através dos meus alertas!)


Raquel Isidro

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 10:48