Quem não se lembra da Expo'98?



 

Onze anos depois, a exposição é unanimemente apontada como um  marco na organização de eventos de grande dimensão em Portugal. Para trás ficaram as polémicas, as corridas contra o tempo,  a pressão para tudo estar pronto a tempo e horas e, assim, contrariar a descrença de muitos que duvidavam do sucesso da exposição.

 

A Expo'98 mudou uma parte importante da cidade (que é, aliás, esta onde estamos) e ajudou o país a ver-se de outra forma, certamente mais optimista. Afinal, foi também a grande celebração do Portugal democrático e moderno, em contraponto com a Exposição do Mundo Português de 1940. Daí a sua grande importância política.

 

E quem se lembra do director de comunicação e porta-voz da Expo'98? Uma pista... foi jornalista durante 18 anos, assessor de imprensa de Pedro Santana Lopes, da campanha eleitoral de Mário Soares e hoje é director-geral de clientes da LPM. Como temos dois, e um deles é uma senhora (a Catarina Vasconcelos), torna-se fácil adivinhar.

 

Na mais recente edição da revista Festas&Eventos, num dossier sobre eventos políticos,  João Paulo Velez partilha o entusiasmo de ter acompanhado de perto a organização desta exposição emblemática, ainda que tenha perdido algumas noites de sono pelo caminho. Depois de sabermos que a calçada em frente da Gare do Oriente ficou pronta apenas dois dias antes da abertura, percebemos porquê...

 

 

Sandra Silva

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 10:17