Quinta-feira , 03 de Dezembro DE 2009

Longe da lista, longe do coração



 

A ler, hoje, no caderno P2 do Público uma reportagem sobre as novas definições de amizade e amigo criadas pelas redes sociais, mais concretamente o Facebook.

Isto a propósito da entrada, em Novembro, da palavra unfriend no New Oxford American Dictionary. Foi, aliás, escolhida como a palavra do ano: unfriend, o verbo desamigar, que significa retirar alguém de uma rede social da Internet, abolindo o seu estatuto de "amigo".

E percebe-se a importância do conceito. Quando conhecemos alguém que não queremos encontrar, evitamos cruzar o olhar com ela. Em espaços públicos comuns, fazemos por evitar passar por determinado sítio. No caso do Facebook, a única coisa que nos liga a essas pessoas é estarem associadas à nossa listagem de contactos.

É, por isso, mais rápido desfazermos o relacionamento. Nada de fitas. Nada de olhos nos olhos. Nada de choradeira ou pedidos de explicação. Um click e acabou.

 

 

 

 Sandra Silva

 

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 11:10
Quarta-feira , 02 de Dezembro DE 2009

Por falar em combater a SIDA em África



 

No contexto do Dia Mundial da SIDA, e só nos últimos dois dias, a agência de notícias de Angola ANGOP lançou 46 takes sobre o tema: novos centros de diagnóstico, marchas de sensibilização e apoio, campanhas de solidariedade, declarações de políticos, religiosos, empresários e profissionais de Saúde, contabilizações, apelos e distribuição de material informativo em escolas e outras instituições.

A foto em cima foi tirada por nós numa das principais artérias da cidade de Luanda e mostra o edifício do Instituto Nacional de Luta contra a Sida, que anunciou ontem novas clínicas móveis e um total de 500 centros de atendimento em todo o país.


Ana Martins

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 15:30

“Lace Up, Save Lives!”




 

Decorreu segunda-feira em Londres, na presença de Bono Vox, vocalista dos U2, de Didier Drogba, futebolista do Chelsea FC, e de Mark Parker, CEO da Nike o lançamento mundial da iniciativa RED.

A RED é um modelo de apoio ao combate ao VIH/sida em África que, para além de alertar as pessoas para o tema, tem como objectivo gerar fundos, através da venda de produtos ou edições especiais dos mesmos (todos de marcas que são ícones), mas com uma particularidade... a cor vermelha.

A Nike, uma das principais parceiras deste projecto, vai colocar à venda atacadores vermelhos, que cada pessoa pode usar no calçado que quiser e como quiser, sob o lema “Lace Up. Save Lives” (em tradução livre: Aperta estes atacadores. Salva Vidas). A totalidade dos lucros obtidos com a venda destes atacadores vai contribuir para comprar medicamentos e promover programas comunitários de educação apoiados pela Nike, em países africanos.

Os assets Nike vão usar os vermelhos durante o Mundial 2010, uma vez que este campeonato, por se realizar em África, vai ser o palco ideal para divulgar a mensagem e influenciar a mudança de atitude para com a prevenção e combate ao VIH/Sida.

Os atacadores estão disponíveis, desde ontem (Dia Mundial da Sida), nas lojas Nike e também através do site da marca.

Aperta os teus atacadores e salva uma vida!


Gonçalo Santos

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 10:15

arquivo

subscrever feeds

tags