Terça-feira , 23 de Junho DE 2009

O que têm de tão bom as lojas da Unitel?

 

Ao andar pelas ruas de Luanda, dificilmente resisto a entrar numa loja da Unitel. Não é pelas promoções mega atraentes, ou pela variedade de telemóveis à escolha. Também não é pela progressiva qualidade de acesso à rede da maior operadora de telecomunicações móveis de Angola. Não é pela modernidade do espaço, nem tão pouco pela simpatia e o profissionalismo de quem nos está a atender.


É mesmo porque lá dentro está sempre fresquinho! E, desde ontem, já temos mais um “ponto de refresco”, ali no Bairro Neves Bendinha – Bairro Popular, que eleva para 16 o número de lojas Unitel na província de Luanda. Com tanto calor, não admira que já tenham mais de cinco milhões de clientes…
 



 


Ana Martins

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 15:17
Quarta-feira , 17 de Junho DE 2009

A realidade angolana a um click de distância

 

A LPM Comunicação tem um novo serviço on line dedicado em exclusivo à realidade angolana. Actualizado diariamente, o Radar Angola é um portal de notícias que reúne a informação mais relevante veiculada nos media portugueses e angolanos sobre as dinâmicas  económica, política e social de Angola.

 

O portal surge na sequência de outra ferramenta criada pela LPM, a Webletter Radar Angola, uma edição enviada diariamente (excepto fins-de-semana e feriados), que compila as principais notícias sobre o país, em Portugal e no Mundo.

 

O novo serviço vem complementar esta ferramenta e reforçar a oferta da LPM Comunicação para aquele mercado, que, pelo feedback recebido em Luanda, mas também em Lisboa, é um sucesso.
                

 Patrícia Afonso

 

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 13:41
Terça-feira , 02 de Junho DE 2009

Porque é CHOCOLATE a revista preferida da secção masculina da LPM III

Chocolate, edição n.º 15, pág. 47

 

 

 Ana Martins

 

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 18:38

Porque é CHOCOLATE a revista preferida da secção masculina da LPM II

Chocolate, edição nº15, pág.78
 


Ana Martins

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 18:10

Porque é CHOCOLATE a revista preferida da secção masculina da LPM I

Para quem ficou com dúvidas


Chocolate, edição de Abril.




Ana Martins

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 18:03

Quiosque Angola



 

No escritório da LPM em Lisboa, temos mesmo ao nosso lado, e à vista de todos, uma “banca” com exemplares de jornais e revistas angolanos. É uma mesa de trabalho para quem trabalha nos projectos de Angola e… um regalo para os mais curiosos! “Ai que engraçado, posso espreitar a VIDA?” “Posso levar a CHOCOLATE para ler à hora do almoço?” “Vou aqui a Angola buscar o EXPANSÃO para saber as novidades de economia.” Não há dia em que isto não aconteça. Então a CHOCOLATE, é a preferida da secção masculina, vá-se lá saber porquê…

Isto de nós “sermos Angola” levou-nos a perguntar o que seriam os nossos vizinhos. Fácil! Aqui as colegas que trabalham com o Oceanário são o Oceano Atlântico. Os analistas de TV são a Namíbia, os colegas do lado direito são a Zâmbia, e por aí adiante. Aliás, vou agora ali ao Congo tentar aprovar um Plano de Comunicação.


 

Ana Martins

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 12:07
Segunda-feira , 25 de Maio DE 2009

MAIS longe III

Sempre inspirada está a maior operadora de telecomunicações móveis em Angola. A Unitel alcançou recentemente cinco milhões de clientes. São cinco milhões de conquistas em Angola, num espaço de oito anos de actividade. Cada vez mais “próxima do próximo”, a Unitel decidiu partilhar o momento com os angolanos e celebrar este marco histórico, bem como o seu oitavo aniversário, com um mega festival de música na Cidadela de Luanda. Nós e a RTP também lá estivemos. Parabéns, Unitel!

 





 

 Ana Martins

 

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 18:01
Sexta-feira , 22 de Maio DE 2009

MAIS longe II

Quando tirámos esta fotografia, íamos a caminho de Cabo Ledo. Mostra parte do Miradouro da Lua, um local onde se pode vislumbrar uma paisagem fenomenal. O olhar percorre um ângulo de 180 graus e o mar ganha o desenho de uma meia-lua. Na foto podemos ver uma das suas extremidades e a irregularidade do terreno, tão fascinante. Deve ser por estas e outras parecidas que em Angola se vivem tantos sucessos. Num clima de paz, estas paisagens são verdadeiras fontes de inspiração para criar, inovar, reconstruir, modernizar.

 

 Ana Martins

tags:
publicado por Lugares Mesmo Comuns às 14:54

MAIS longe


 

Às seis da manhã de hoje, o nosso colega Henrique Ribeiro já estava no avião que liga Luanda ao Huambo. Esperava-o uma grande viagem, a mesma que foi realizada pela equipa da Rádio Mais, que hoje inaugura as suas emissões nesta província.


“A melhor frequência do FM” começou em Luanda, em Novembro do ano passado, com uma linguagem urbana e uma programação diversificada e moderna, numa abordagem de produção radiofónica pioneira em Angola. Agora, a Rádio Mais, do grupo Medianova, estende-se à província do Huambo com uma programação própria, dirigida ao público regional. Chega assim MAIS longe, aliás como tem acontecido com o sector dos Media em Angola, de uma forma geral. Que privilégio para nós, viver momentos como este! Estar no terreno e ver como tão rapidamente se desenvolve o panorama mediático de um país. Em que outro sítio do Mundo poderíamos trabalhar num mercado assim, onde tão depressa surgem novos jornais, televisões, rádios? Ainda para mais, em português. Bom, na verdade a Rádio Mais no Huambo vai ter noticiários em “Umbundo”… Explicadores de “Umbundo” por aí, alguém?
 

Ana Martins

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 12:48
Quarta-feira , 22 de Abril DE 2009

Não tem maka

Não tem maka

 

Todos os dias temos problemas. Aparecem, multiplicam-se à medida que o dia vai envelhecendo, ou acordam-nos como um despertador estridente que queremos desligar. Reproduzimos a equação vezes sem conta na nossa cabeça, estrebuchamos, complicamos, implicamos… É o dia, é a hora, é o tempo, é a resposta, é a falta dela, é o espaço, é a palavra, é a crise, ai…


Senhora, não tem maka.
Como?
Calma. Não tem maka. Estamos juntos!


Em Angola, maka (sinónimo de “problema”) tem outro sentido, um pouco distante de todos aqueles. Os tempos fazem-se de outros ritmos, os despertadores cantam mais cedo e os dias não envelhecem. Mantêm-se o calor, a música e os sorrisos. É que, por ali, os problemas são outros. Todos aqueles que restam depois de décadas de conflito ou após uma noite tempestuosa de chuvas intensas. Problemas que são sérios, mas nem por isso castradores de uma vontade imensa de refazer, de recuperar, de reconstruir.
Mãos à obra! São muitas, já marcadas pela edificação de um país novo e em amplo crescimento, mas outras que vierem parecem ser bem-vindas, e o contributo das organizações é recebido pela porta dianteira. A Cidadania Empresarial e a Responsabilidade Social Empresarial ganham aqui todo o sentido. As vertentes económica, ambiental e social anseiam pela atenção das empresas, que começam a despertar para a importância de contribuir para o desenvolvimento do país e para a melhoria das condições de vida da comunidade. A Unitel, operadora de telecomunicações móveis líder em Angola, já arregaçou as mangas e juntou às várias iniciativas de solidariedade social, que tem vindo a promover, acções de carácter ambiental que envolvem a participação dos próprios colaboradores. Na foto, tirada no mês passado, um desses colaboradores ajuda Helena, habitante da cidade do Namibe, a plantar uma árvore naquele município.

Sem maka, só a ajudar a resolver os problemas.


Ana Martins

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 16:51

arquivo

subscrever feeds

tags