Quinta-feira , 02 de Dezembro DE 2010

De vendedoras a informadoras

O Diário Económico publica hoje um artigo sobre as mega tendências do comportamento do consumidor para 2011 e 2012. Desenvolvido pela Science of Time, o estudo observou comportamentos e concluiu que, nos próximos tempos, raiva, desconfiança e cepticismo serão os sentimentos dominantes.

 

Por outro lado, a crise fez com que os consumidores ficassem muito mais exigentes: quer-se das marcas garantias e um mundo melhor, mais sustentável.

 

O consumidor on line é outra grande tendência, o que obriga à necessidade de gerir conteúdos nas redes sociais, com estratégia própria e bem alicerçada, assim como a transparência e a necessidade das marcas passarem de vendedoras a informadoras. 

 

 

"As empresas agora têm de rever as estratégias de comunicação e estar mais atentas a todos os elementos que não só a comunicação comercial", afirma Manuela Botelho, secretária-geral da APAN.

 

Onde a publicidade perde perde terreno e capital de confiança, as Relações Públicas encontram terrítório para crescer, não vos parece?




Sandra Silva 

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 18:47
Quinta-feira , 05 de Agosto DE 2010

De que precisa a publicidade?

 

 

O livro de Al Ries e Laura Ries "A Queda da Publicidade e a Ascensão das Relações Públicas" ganha hoje uma especial actualidade com a entrevista que o Diário Económico publica hoje com Pedro Pina, presidente do grupo McCann , e Vera Nobre da Costa, antiga presidente da Young & Rubicam.
Do líder da McCann, chega-nos o pessimismo em relação ao futuro da publicidade, o desalento em relação às interferências e exigências de racionalidade por parte dos clientes . Da sua antecessora, chegam-nos recordações da desvalorização da publicidade, da perda de ‘glamour’, da “passagem para segundo plano”, da chegada às agências de uma geração mal preparada. E percebe-se que o binómio criatividade-eficácia ainda é controverso.
As quatro páginas do Económico retratam a “queda” mas também dão algumas pistas quanto à “ascensão”: tecnologias, redes sociais, ‘one-to-one’, dizem.
Mas não basta mudar do ‘off line’ para o ‘on line’. É o próprio paradigma que se altera: da propagação para o envolvimento. E as Relações Públicas são a disciplina ideal para responder esse desafio.

 

Joana Machado

publicado por Lugares Mesmo Comuns às 12:43

arquivo

subscrever feeds

tags